menu

Nova Orla impediu inundação da avenida Tapajós, diz prefeitura de Santarém

Prefeitura fez um comparativo com o ano de 2009, quando o município sofreu a maior cheia da história e casas e comércios foram alagados na avenida

Nova Orla impediu inundação da avenida Tapajós, diz prefeitura de Santarém Comparativo da nova orla, este ano de 2022, com a orla do ano de 2009, quando houve a maior cheia da história de Santarém, PA (Foto: Divulgação/Agência Santarém) Notícia do dia 18/05/2022

DEAMAZÔNIA SANTARÉM, PA - Em 2009, o município de Santarém sofreu a maior cheia já registrada de sua história. O nível do rio Tapajós alcançou a marca de 8m31cm no mês de maio daquele ano. A Avenida Tapajós ficou inundada, casas e comércios foram alagados, causando transtornos e prejuízos incalculáveis.

 

Em 2017, após articulação do prefeito Nélio Aguiar junto ao ministério da Integração Nacional, foi assinada a Ordem de Serviço para início da construção da nova orla do município de Santarém.

 

Segundo a Prefeitura, a nova orla já apresenta resultados positivos antes da sua conclusão, prevista para este semestre. As inundações já estavam se tornando constantes, mas apesar da cheia deste ano ter ultrapassado, por algumas semanas, as marcas alcançadas em 2009, a Avenida Tapajós não ficou submersa como ocorreu naquele ano.

 

A nova proteção da frente da cidade também evitou prejuízos financeiros sofridos por comerciantes e cidadãos que tinham suas casas alagadas naquele perímetro.

 

“O município passa por uma enchente de grandes proporções e muitas cidades vizinhas tiveram suas frentes inundadas, o que não aconteceu em Santarém. A nova orla já cumpre com a sua função, evitando prejuízos e protegendo nossa Pérola”, disse o prefeito Nélio Aguiar.

 

Construída nos anos 70, a antiga estrutura estava totalmente debilitada. A ação do tempo, as cheias e a atracação de embarcações foram as principais causas. A nova estrutura mudou essa realidade. Além da proteção da cidade e da segurança portuária, a economia e o bem estar da população serão contemplados, gerando qualidade de vida e fortalecendo o turismo.

 

A estrutura dispõe de um cais de arrimo de 1.640 metros, seis píeres, motobombas de drenagem, rampa para descida e subida de lanchas e Jet ski, executados na primeira etapa. A segunda etapa, cujo recurso é fruto de parceria com o governo do estado, contempla a paisagem e a mobilidade da estrutura, com ciclofaixa, quiosques e paisagismo.

 

“É uma obra histórica e necessária. A maior orla já construída no interior do estado. E certamente será o nosso mais novo cartão postal, que vai atrair turistas e as famílias santarenas”, ressaltou Nélio Aguiar.