menu

Fonseca, o prefeito que ficou menos de 10 meses no cargo

Prefeito cassado de Oriximiná teve a oitava derrota na Justiça

Fonseca, o prefeito que ficou menos de 10 meses no cargo Delegado Fonseca Notícia do dia 28/01/2022

DEAMAZÔNIA ORIXIMINÁ, PA - O prefeito cassado de Oriximiná, William Fonseca (PRTB), teve esta semana o oitavo recurso negado pela Justiça, em mais uma de suas tentativas para voltar ao comando da Prefeitura. Nas idas e vindas o placar está 8 x 2.     

 

Inexperiente na vida pública e na política e sem nunca ter descido do palanque, o delegado Fonseca [em tão pouco tempo de mandato], perdeu o apoio da Câmara, brigando com a maioria dos vereadores.

 

Depois teve embates com o promotor e a Justiça de Oriximiná.

 

Eleito em 2020 na onda bolsonarista, o prefeito se recusou a cumprir ordem da Justiça para adotar medidas de restrições no pico mais agudo da pandemia, recomendado pelo promotor da Comarca.

 

Não contente, William Fonseca foi ao TJPA para não cumprir a ordem do juiz. E perdeu de novo.

 

A desobediência à Justiça custou uma multa de R$ 50 mil, aos bolsos do então prefeito.

 

Em 22 de outubro, do ano passado, veio à cassação do mandato dele.

 

Aí o delegado girou sua 'metralhadora' em seus desafetos, os irmãos Ferrari - Junior e Ângelo, deputado federal e estadual (PSD), respectivamente.

 

Em seguida [para completar], o prefeito cassado fez ataques ao governador Helder Barbalho (MDB) [até agora sem adversário para disputar a reeleição].

 

Sem o mandato, Fonseca reassumiu o posto de servidor público do estado do Pará, como delegado de polícia. É que as suas tentativas de retorno ao poder ocorre fora do cargo de prefeito.

 

Deu para entender o roteiro desta história?