menu

Governador sanciona lei que torna 'Brega' patrimônio cultural e imaterial do Pará

O Projeto de Lei, deputada Ana Cunha, foi aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa (Alepa), no dia 24 de agosto

Governador sanciona lei que torna 'Brega' patrimônio cultural e imaterial do Pará Governador Helder Barbalho mostra a lei sancionada, declarando o brega patrimônio da cultura paraense (Foto: Alex Ribeiro - Ag. Pará) Notícia do dia 16/09/2021

DEAMAZÔNIA BELÉM, PA - O ritmo “Brega” tornou-se Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado do Pará. A Lei foi sancionada pelo governador do Estado do Pará, Helder Barbalho, na noite desta quarta-feira (15.09), no Teatro Estação Gasômetro no Parque da Residência.

 

A Lei é de origem do projeto de lei nº 199/2021, aprovado por unanimidade em sessão deliberativa na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), no dia 24 de agosto. A autora da proposição é a deputada Ana Cunha.

 

O ato de assinatura da Lei ocorreu no Teatro Estação Gasômetro, no Parque da Residência, em Belém, e contou com a presença do governador Helder Barbalho; da Secretária de Estado de Cultura, Ursula Vidal; da deputada estadual Ana Cunha (PSDB), autora da Lei; do deputado Francisco Melo (Chicão), presidente da Alepa; da deputada Marinor Brito (PSOL), representante da Câmara de Cultura na Alepa; Michel Pinho, secretário Municipal de Cultura de Belém, e outros gestores de municípios paraenses.

 

Para prestigiar a categoria, o governador Helder Barbalho chamou ao palco todos os músicos, compositores, dançarinos, representantes de aparelhagens e demais trabalhadores da cultura ligados ao brega, antes de iniciar seu pronunciamento.

 

Grandeza musical 

“Gostaria de começar saudando aqueles que fazem o brega, que transformaram esse ritmo na sua grandeza, e que hoje temos o privilégio e a honra de imortalizá-lo. Apesar de o que o imortaliza não é uma lei; o que o imortaliza é a grandeza em que todos vocês transformaram esse ritmo, que se confunde com a história do nosso Estado, que se confunde com cada um de nós. Certamente, não tem um paraense, por mais travado que seja, que já não tenha pelo menos tentado um passo de brega. Se não, não é paraense ou não mora aqui. O brega está para nossa música como o açaí está para nossa gastronomia, como Nossa Senhora de Nazaré  está para os católicos e nossa fé. Isso é fantástico, porque demonstra a grandeza do nosso Pará”, destacou o governador.

 

Após a cerimônia, houve programação gratuita, com show de artistas do brega paraense, como os cantores Alan Rodrigo, Sonel Farias, Nilk Oliveira, Carlos da Luz, Waldo César, Lima Neto, Alberto Moreno, Tarcísio França, Rony Nascimento, Gerson Thirrê, e do Projeto “Os reis do brega”, com participação especial da cantora Rosemarie. Os espetáculos fizeram uma homenagem aos artistas já falecidos Frankito Lopes, Rubens Mota, Teddy Max e Maestro Didi.