menu

Em Belém, professor pergunta se aluna prefere ser estuprada 'no seco' ou com lubrificante

Questionamento ocorreu durante aula de medicina de faculdade particular em Belém; professor foi demitido

Em Belém, professor pergunta se aluna prefere ser estuprada 'no seco' ou com lubrificante Em Belém, professor pergunta se aluna prefere ser estuprada 'no seco' ou com lubrificante Notícia do dia 27/11/2021

DEAMAZÔNIA BELÉM, PA - A Polícia Civil do Pará abriu uma investigação contra um professor de medicina após ele ter perguntado a uma estudante durante uma aula se ela preferia ser estuprada com lubrificante ou "no seco".

 

O caso aconteceu no último dia 17 durante uma aula do Centro Universitário Metropolitano da Amazônia (Unifamaz) em Belém, capital do estado. A fala foi filmada por outra pessoa presente na sala.

 

O professor foi demitido nesta sexta-feira (26).

 

As imagens viralizaram nas redes sociais na manhã da quinta-feira (25) e mostram inicialmente o professor ensinando as alunas a fazerem um procedimento de intubação utilizando um boneco, em uma simulação do que ocorre com seres humanos.

 

No momento em que a simulação ocorre, o professor pergunta a uma estudante se ela havia lubrificado o tubo usado para o procedimento médico. Ao receber resposta negativa, o educador alterou o tom de voz e proferiu a fala com apologia ao estupro.

 

"Quero ver se quando a senhora for estuprada vai querer levar o KY [marca de gel lubrificante íntimo] para facilitar a vida ou vai preferir no seco mesmo", afirma.

 

O caso foi denunciado na Polícia Civil do Pará. A investigação mira uma possível importunação sexual e está a cargo da Divisão Especializada no Atendimento à Mulher da corporação.

 

O Conselho de Medicina instaurou procedimento administrativo.

 

A Universidade emitiu Nota Oficial informando que o docente não faz mais parte do quadro de profissionais e que "refuta com veemência qualquer atitude que viole o bem-estar da comunidade acadêmica e reforça seu compromisso com a formação de cidadãos éticos, portanto, repudia qualquer tipo de ato de assédio contra a mulher ou contra qualquer ser humano".

VEJA O VÍDEO: