menu

Pará monta barreira sanitária em municípios que fazem divisa com Maranhão

Com cepa indiana da Covid-19 em circulação no Maranhão, Secretaria de Saúde do Pará faz triagem de passageiros que tentam entrar no estado

Pará monta barreira sanitária em municípios que fazem divisa com Maranhão Sespa dá suporte em barreiras sanitárias em municípios que fazem divisa com Maranhão (Foto: Divulgação/Sespa) Notícia do dia 04/06/2021

DEAMAZÔNIA ABEL FIGUEIREDO, AM - A Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) está dando suporte para as barreiras sanitárias montadas em Abel Figueiredo, Cachoeira do Piriá, Dom Eliseu e Viseu, municípios que fazem divisa com o estado do Maranhão, como medida de controle da propagação da Covid-19, no Pará.

 

A ação está sendo realizada desde o dia 02 de Junho e segue até o dia 11 e é um esforço conjunto com a Polícia Militar, Secretaria de Fazenda, Polícia Rodoviária Federal e Secretarias de Saúde Municipais. 

 

O Governo do Maranhão, através da Secretaria de Saúde, confirmou no dia 20 de maio os primeiros casos de infecção no Brasil provocados pela cepa indiana do novo coronavírus. Os infectados pela variante B.1.617.2 foram seis tripulantes do navio Shandong da Zhi, oriundo da África do Sul e fretado pela empresa Vale para a entrega de minério de ferro em São Luís, capital do Maranhão.

 

“O objetivo desta ação é verificar se pessoas que estão entrando no estado do Pará apresentam sintomas gripais; além reforçar as medidas de segurança que devem ser tomadas para a prevenção da Covid-19, tais como: o uso de máscaras, distanciamento social e correta higienização das mãos”, orienta Milvea Carneiro, diretora de Vigilância Sanitária da Sespa, segundo ela além da Vigilância Sanitária, também estão envolvidos na ação o Departamento de Epidemiologia, Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) e Laboratório Central (LACEN-PA). 

 

Durante as ações, as equipes das Secretarias de Saúde do Estado e dos Municípios realizam triagem dos cidadãos por meio da aplicação de questionário, verificação de temperatura dos ocupantes de veículos particulares, de transporte coletivos que transitam entre os dois estados, além de orientar acerca a importância do isolamento social, hábitos de higiene, uso correto da máscara e são encaminhadas à assistência médica no município. 

 

“De acordo com o protocolo instituído pelo Governo do Estado, na abordagem é feita uma rápida entrevista e aferida a temperatura corporal, seguida de orientações sobre protocolos e cuidados a serem observados. Caso alguém apresente sintomas gripais como febre ou temperatura superior a 37,5° os profissionais que estão atuando na barreira realizam teste rápido de antígeno, que caso seja positivo, encaminham a pessoa à assistência médica no município e a amostra do paciente para o LACEN para sequenciamento genético a fim de confirmar se o caso é positivo para a nova cepa”, explica a diretora. 

 

RESULTADOS

Em dois dias de operação, já foram realizadas 1.449 abordagens. Na barreira sanitária montada em Abel Figueiredo, foram realizadas 500 abordagens e orientações às pessoas em seus veículos e também aos transeuntes.

 

Na barreira sanitária instalada em Viseu, foram abordadas e orientadas pessoas que chegavam à cidade por meio fluvial, num total de 413 abordagens. No município de Dom Eliseu, foram abordadas e orientadas pessoas em automóveis (particulares e coletivos) que estavam entrando na cidade, no total de 102 abordagens e orientações.

 

No município de Cachoeira do Piriá, foram realizadas 434 abordagens e orientações às pessoas em veículos e também a pessoas que chegavam em transporte coletivo. 

 

Foram aplicados 22 testes rápidos de antígenos com 11 casos positivos. As amostras destes pacientes foram encaminhadas ao LACEN para sequenciamento genético. Os municípios estão monitorando o quadro de saúde dos pacientes.