menu

Jender manda Babá pagar dívidas e esquecer reeleição do Caprichoso

Vice-presidente detonou presidente e disse que vai lutar contra “golpe”; a eleição do Caprichoso acontecerá após festival deste ano

Jender manda Babá pagar dívidas e esquecer reeleição do Caprichoso Jender Lobato (Foto: Reprodução) Notícia do dia 01/03/2019

DEAMAZÔNIA PARINTINS, AM - O vice-presidente do Boi Caprichoso, Jender Lobato, disse nesta quinta-feira (28/02), que o presidente Babá Tupinambá precisa focar no tricampeonato, pagar os salários atrasados de funcionários, artistas, itens oficiais e fornecedores, e parar de tentar se beneficiar com um possível “golpe”, que ele planeja dar para concorrer às eleições do boi.

 

“Infelizmente o presidente está desvirtuando a situação e por trás tentando promover mudanças que só vão beneficiar a ele”, declarou o vice-presidente, Jender Lobato em entrevista na Rádio Tiradentes de Parintins. (Ouça o áudio da entrevista ao final da matéria) 

 

Ao perceber a “operação pernada”, Jender Lobato protestou e disse que iria usar de todos os meios para impedir o “golpe”. “Isso é um absurdo, não concordo com isso. Eu vou lutar contra qualquer mudança de estatuto [...] é uma covardia fazer isso”, afirmou.

 

Este é o último ano de mandato do presidente do Caprichoso Babá Tupinambá. Jender é candidato natural à presidência e acabou virando vice para, neste ano, ter o apoio do presidente à sua candidatura.

 

 “Me preocupa essa situação, pois deveríamos estar todos unidos para promover o pagamento de trabalhadores, que não recebem a bastante tempo, de itens, que não receberam contrato completo em 2017 e 2018, vigias do galpão que estão sem receber, professores de escola de arte...”, continuou Lobato. 

 

“Preocupa mais ainda se discutir isso em um momento que o foco deveria ser o tricampeonato”, completou o vice-presidente.

 

Com 90% do patrimônio do Caprichoso penhorado pela Justiça, por conta de dívidas, o vice-presidente diz que o primeiro foco da gestão é resolver pendências financeiras e administrativas administrativas do boi e não promover “golpe”.  “O presidente tenta forçar alguns sócios a promover uma assembleia que ele se beneficie com uma possível mudança no estatuto”, concluiu o vice-presidente do Caprichoso.