menu

PF registrou depoimento de testemunha que sequer foi ouvida, mostram novos diálogos da Lava Jato.

Defesa do ex-presidente Lula encaminhou, nesta segunda (22), trecho dos diálogos ao Supremo

PF registrou depoimento de testemunha que sequer foi ouvida, mostram novos diálogos da Lava Jato. Procurador Deltan Dallagnol (Marcelo Camargo/Agência Brasil) Notícia do dia 22/02/2021

DEAMAZÔNIA BRASÍLIA - A matéria assinada pela jornalista Mônica Bergamo e postada às 11h09  já é a mais lida nesta segunda-feira (22/2), do jornal a Folha de São Paulo. Trata- se de um novo capítulo da Vaza Jato, revelada a partir de diálogos hackeados.

 

Neste caso, mensagens trocadas entre procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato de Curitiba, apontam a existência de conversas, entre eles, referente a atuação de uma delegada da Polícia Federal, ‘que lavrou o termo de depoimento de uma testemunha sem que ela tivesse sido ouvida’.

 

" 'Como expõe a Erika: ela entendeu que era pedido nosso e lavrou termo de depoimento como se tivesse ouvido o cara, com escrivão e tudo, quando não ouviu nada… DPFs [delegado da polícia federal] são facilmente expostos a problemas administrativos', afirmou Deltan Dallagnol em uma conversa por mensagens com o procurador Orlando Martello Júnior”, diz trecho da reportagem de Bergamo.

 

O escritório Teixeira Zanin Martins Advogados, que representa o ex-presidente Lula, encaminhou, nesta segunda (22/2), trechos da conversa dos procuradores ao STF (Supremo Tribunal Federal).

 

A defesa do ex-presidente teve autorização dos ministros do Supremo para ter acesso a todo conteúdo das mensagens vazadas da Lava Jato.

LEIA A MATÉRIA COMPLETA AQUI Folha de São Paulo.