menu

Por descumprir ordem judicial, Oriximiná é o único município que continua em lockdown

Delegado Fonseca prorrogou lockdown no município por mais três dias; MP/PA cobra bloqueio nas contas do prefeito no valor de R$ 50 mil

Por descumprir ordem judicial, Oriximiná é o único município que continua em lockdown Vista aérea do município de Oriximiná, no oeste do Pará (Foto: Alexandre Iluminação) Notícia do dia 20/02/2021

DEAMAZÔNIA ORIXIMINÁ, PA - O prefeito de Oriximiná, Oeste do Pará, delegado William Fonseca prorrogou, por mais três dias, o lockdown no município. O decreto nº 172/2021 foi publicado nesta sexta-feira (19) e determina a validade do bloqueio total até às 6h de segunda-feira (22/2).

 

Fonseca decretou bloqueio total no município no dia 12 de fevereiro, depois de perder recursos na Justiça, para impedir que a medida fosse instituída, como forma de prevenir a transmissão da Covid-19.

 

O prefeito não cumpriu determinação do Estado, sobre o bandeiramento preto, de alto risco de transmissão do vírus, em todo o Oeste do Pará e deixou o comércio aberto. Negacionista de primeira hora, Fonseca disse que essas medidas restritivas não surtiam efeitos para conter o novo coronavírus.

 

Nesta quinta-feira (18), o Governo do Estado encerrou em toda a região Oeste do Pará a determinação de lockdown. Apenas Oriximiná continua, devido o descumprimento da ordem judicial do prefeito.

 

No dia 13 de fevereiro, o Ministério Público do Pará (MPPA) pediu que o juiz de Oriximiná, Ramiro Almeida Gomes, cobrasse a multa de R$ 5 mil diária do prefeito, e o bloqueio das contas pessoais dele, no valor de R$ 50 mil, pelo descumprimento de ordem judicial para decretar lockdown no município.

 

Após notificado de decisão do magistrado, o prefeito expediu Decreto de lockdown por sete dias, e ainda com início somente três dias após o prazo da ordem judicial.

 

Oriximiná continua em alto risco de contágio do novo coronavírus.

VEJA O DECRETO DO PREFEITO: