menu

MP Eleitoral pede à PF que investigue atentados contra candidatos, no Pará

Ofício cita casos no municípios de Belém, Parauapebas e Dom Eliseu

MP Eleitoral pede à PF que investigue atentados contra candidatos, no Pará MP Eleitoral pede à PF que investigue atentados contra candidatos, no Pará (Foto: Reprodução/OLiberal) Notícia do dia 28/10/2020

DEAMAZÔNIA BELÉM, PA - O Ministério Público Eleitoral do Pará enviou, nesta terça-feira (27/10), ofício à superintendência da Polícia Federal para que faça investigações preliminares sobre casos de violência contra candidatos nas eleições municipais no estado.



O ofício cita o assassinato do candidato a prefeito no município de Dom Eliseu, o atentado a tiros contra um candidato a prefeito em Parauapebas, ambas cidades no sudeste do estado. Além de pedir investigação também sobre o alvejamento a tiros da casa de uma candidata a vice-prefeita de Belém, capital paraense.



O candidato a prefeito Adriano Souza Magalhães, do Solidariedade, foi assassinado a tiros quando jantava em um restaurante no centro de Dom Eliseu, no dia 7 de outubro.



No dia 15 de outubro, o candidato a prefeito de Parauapebas pelo PRTB, Júlio César, voltava de uma reunião na zona rural do município quando teve o carro abordado por um veículo com três homens encapuzados que atiraram e atingiram o político no peito. Ele sobreviveu.



Na madrugada do último dia 23, a casa de Patrícia Queiroz (PSC), candidata a vice-prefeita de Belém na chapa de José Priante (PMDB), também foi alvejada a tiros. Ninguém ficou ferido.



Os três casos são investigados pela Polícia Civil do Pará e até o momento nenhuma prisão foi efetuada. Os investigadores ainda não confirmaram se os atentados têm relação com as eleições de 2020.



O pedido do MP Eleitoral à PF é para que sejam feitas investigações preliminares no intuito de desvendar se há, de fato, relação dos casos de violência contra os candidatos e as disputas políticas municipais. E também para que acompanhe as investigações criminais realizadas pelas demais autoridades públicas.