menu

Juíza proíbe escolas de samba de Anori de homenagear prefeito, no Carnaval 2020

MP Eleitoral ajuizou ação depois que prefeito bancou três escolas de samba, para ser o único homenageado no carnaval da cidade

Juíza proíbe escolas de samba de Anori de homenagear prefeito, no Carnaval 2020 Prefeito de Anori, Jamilson Carvalho ( DIVULGAÇÃO) Notícia do dia 18/02/2020

DEAMAZÔNIA ANORI, AM - A juíza eleitoral de Anori ( distante a 195 quilômetros de Manaus), Priscila Pinheiro Pereira, proibiu que três escolas de samba da cidade prestem homenagem ao prefeito Jamilson Carvalho (MDB), no carnaval do município deste ano. O prefeito financiou, com recursos públicos, as escolas de samba Verde e Amarelo, Mooca e Diamante do Samba, para ele ser a única atração do carnaval da cidade.  

 

Os sambas enredo dessas escolas exaltavam Jamilson, bem como havia fotos do prefeito estampadas nas camisas e demais uniformes dos foliões, com slogans de 2020. Em uma das escolas o samba enredo tinha o seguinte tema: “Na caravela do Samba, segue firme com fé e determinação, Jamilson Carvalho, homem de bom coração”.  

 

A pedido do promotor Eleitoral de Anori, Luiz Alberto Dantas de Vasconcelos, a  magistrada entendeu que os sambas enredos foram produzidos com a intenção de fazer promoção pessoal do prefeito, em pleno ano eleitoral.

 

“O abuso do poder político se caracteriza pela utilização ilícita de recursos públicos em prol de determinado candidato. Nesse caso o agente público se prevalece da condição funcional para beneficiar a própria candidatura ou a de outrem, com flagrante desvio de finalidade”, atesta a juíza Priscila Pinheiro Pereira , em sua fundamentação. VEJA NA INTEGRA DECISÃO DA JUÍZA DE ANORI AQUI.

 

Na sentença, concedida liminarmente, a juíza de Anori também proíbe, além das agremiações carnavalescas e seus respectivos desfiles, o prefeito Jamilson Carvalho de fazer menção a qualquer ocupante de cargo público eletivo ou outro cidadão, com pretensão política, para as eleições de 2020, em especial a ele mesmo.

 

Priscila Pinheiro Pereira fixou multa de R$ 10 mil, em caso de descumprimento da medida, a todos os implicados, ‘sem prejuízo a futura investigação de possível prática de abuso do poder político e/ou econômico e crime eleitoral’.

 

Agora, a poucos dias do desfile de carnaval, as escolas terão que mudar sambas enredos, camisas, fantasias e alegorias que ‘bajulem’ o prefeito de Anori.

SAMBA ENREDO DA ESCOLA DE SAMBA DE ANORI, VERDE E AMARELO