menu

Show com reflexão futurista na Casa da Cultura reforçou a defesa ambiental Amazônica

O início do Show foi com a música 'Nem Cheira e Nem Fede' voltada a subjetividade futurista, dentre ações de maldade que afetam a humanidade.

Show com reflexão futurista na Casa da Cultura reforçou a defesa ambiental Amazônica No repertório foram incluídas 10 canções autorais. Foto: Alciane Ayres. Notícia do dia 13/01/2020

DEAMAZÔNIA SANTARÉM, PA - O palco da Casa da Cultura, um dos equipamentos artísticos culturais da Prefeitura de Santarém/Secretaria Municipal de Cultura (Semc) recebeu apresentações do Show “Imbiara na Amazônia” de Zé Azevedo e Banda. As exibições de sexta (10) e sábado (11) foram consideradas satisfatórias pelo artista Azevedo devido o retorno após, sete anos. “Essa experiência das duas noites de show me fez renascer, eu estou imensamente satisfeito pelo apoio do governo municipal, e a oportunidade de compartilhar junto ao público a mensagem de defesa ecológica da Amazônica ao futuro”, disse o artista. 

 

O estudante Henrique Messias destaca a letra das músicas do artista. “As músicas deste  artista são inspiradoras e envolventes, nos leva a refletir sobre nosso papel socioambiental. E destaca a guerra,  a defesa ecológica, a rotina das pessoas que habitam na nossa região em meio essa grande preciosidade que é a Amazônia. Excelente ouvir, refletir e agir para termos melhor qualidade de vida”, enfatizou.

 

No repertório foram incluídas 10 canções autorais. O início do Show foi com a música 'Nem Cheira e Nem Fede' voltada a subjetividade futurista, dentre ações de maldade que afetam a humanidade. “Trechos da letra dessa música diz que [...] Nem cheira, nem fede, nem ama e nem tem amor. Cobra cega, veneno letal, Besta Fera bomba que explode o mal [...]. Reflete sobre o grau de ignorância de muitos que reforçam a guerra e a degradação do meio ambiente, e um dos grandes alvos a Amazônia”, concluiu Zé.

 

Para acompanhar o artista, a Banda Base, os integrantes do Regional Mocorongo da Semc:  Adriano Dourado (bateria), Andresson Dourado (piano), César Crioulo (percussão), Gean Araújo (trombone), Marcos Tapajós (guitarra) e Renan Pereira (contrabaixo).

 

Zé Azevedo ganhou destaque com a produção musical desde 1980, quando foi premiado no IV Festival de Música Popular  do Baixo e Médio Amazonas  com a música “Sandálias do Tempo”, Festival de Música da Festa da Cultura Popular, com a música, “ Zezinho Vai”. E foi um dos privilegiados na “Noite Musical Santarena” nas dependências do Theatro da Paz  e no Núcleo de Artes esteve com o Show “Imaginação”  da Universidade Federal do Estado do Pará (UFPA) na capital paraense e entre outros eventos da arte musical.

Tags: