menu

Projeto nacional 'Trabalho Escravo Nem Pensar' é lançado em Santarém

Projeto nacional 'Trabalho Escravo Nem Pensar' é lançado em Santarém Notícia do dia 08/10/2019

DEAMAZÔNIA SANTARÉM, PA - O lançamento do projeto "Trabalho Escravo, Nem Pensar" em Santarém ocorreu na manhã desta terça-feira (08) no Centro de Universidade da Amazônia - Unama. O projeto é desenvolvido pela ONG Repórter Brasil e foi fundado em 2004. É o único programa nacional dedicado à prevenção do trabalho escravo. Tem como missão diminuir o número de trabalhadores aliciados para o trabalho escravo e submetidos a condições análogas a de escravidão nas zonas rural e urbana do território brasileiro, por meio da educação.

 

Natalia Suzuki é a coordenadora do programa e informa que a proposta é dar continuidade no combate ao trabalho escravo e de outros correlatos como a imigração, o trabalho Infantil, tráfico de pessoas, e vários projetos. Essa é a primeira vez que o projeto chega a região oeste do estado do Pará.

 

A coordenadora comentou ainda sobre a importância da inclusão de todos no combate à causa. "O trabalho escravo é um problema muito complexo que envolve diversas dimensões do indivíduo, uma vez resgatado ele irá precisar do apoio e uma rede de atuação de vários órgãos da Educação, da Assistência Social, etc. É importante que esses órgãos estejam capacitados para trabalhar com a temática e fazer um atendimento mais qualificado. No caso da Assistência, é desenvolvido um trabalho importante pela situação de acolhimento, sabemos sobre o trabalho importante realizado com os índios Waraos e sabemos que esse público pode ser vulnerável a essa situação."

 

"Nós conseguimos pelo Ministério Público do Trabalho firmar essa parceria com o projeto que tem repercussão em todo o Brasil. É uma grande felicidade implementar ele aqui no Oeste do Pará e receber vários municípios da região para o desenvolvimento dessa capacitação no combate ao trabalho em condições análogos de escravidão", pontuou a Procuradora do Ministério Público do Trabalho Tatiana Amormino.

 

A procuradora reforçou que é importante que a população saiba sobre os canais de denúncias pelo aplicativo MPT Pardal, ou pelo próprio site do órgão com denúncias anônimas pelo disk 100. Tatiana Amormino destacou que é possível visualizar quais os são os casos mais enfrentados no site do Ministério em parceria com a Organização Internacional do Trabalho que é um observatório de trabalho.

 

A assessora de planejamento da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtras) Roselene Andrade representou a titular da pasta Celsa Brito no evento e destacou a importância do trabalho realizado pelo município por meio das Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Aepeti). "Nós já tivemos atendimentos realizados pelos nossos serviços com pessoas em situações de trabalho escravo. É fundamental que nossa equipe da média e alta complexidade possam conhecer essa metodologia e acompanhar quais os instrumentais que são utilizados e qual a melhor forma de atendimento para que sejamos multiplicadores desse atendimento."

 

Participaram do lançamento pedagogos, servidores de vários equipamentos da Semtras, gestores da Secretaria Municipal de Educação (Semed) de Santarém à exemplo de Claíde Marques de Azevedo, membro da equipe de assessoria de assuntos educacionais que na ocasião representou a Secretária Municipal de Educação Mara Belo. Estiveram presentes ainda representantes das escolas públicas de Itaituba, Monte Alegre e Óbidos, pedagoga Nanci Baia e o Diretor da Quinta Unidade regional de Educação professor Francisco do Nascimento.

 

Em janeiro os profissionais da saúde e assistência da região irão passar por uma capacitação.